Funeral de morta na chacina nos EUA atrai público

A maior bandeira entre as recuperadas nos restos das Torres Gêmeas após os atentados de 11 de setembro de 2001, em Nova York, foi içada hoje no funeral da menina Christina Taylor Green, de 9 anos, a mais jovem vítima do ataque que no sábado passado deixou seis mortos em Tucson, Arizona.

AE, Agência Estado

13 de janeiro de 2011 | 20h02

O serviço religioso atraiu centenas de pessoas à igreja católica St. Elizabeth Ann, em Tucson. O presidente dos EUA, Barack Obama, se encontrou pessoalmente na noite de ontem com os pais de Christine, aos quais manifestou os pêsames.

Christina Taylor Green nasceu no dia dos atentados. O ataque do sábado passado ocorreu quando o suspeito Jared Lee Loughner, de 22 anos, atirou contra uma multidão enquanto a congressista (deputada) democrata Gabrielle Giffords discursava. A congressista levou um tiro na cabeça e está internada. Loughner foi acusado por assassinato e está preso.

Green nasceu em 11 de setembro de 2001 e figurou no livro Faces of Hope (Rostos da Esperança, em tradução livre), que narrava a vida de bebês nascidos em 11 de setembro de 2001 em cada Estado norte-americano. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
funeralmortegarotaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.