Funeral de vítimas de ataque israelense comove egípcios

Dezenas de supostos militantes se juntaram abertamente a um funeral em massa realizado neste sábado para quatro insurgentes egípcios mortos em um ataque de um avião teleguiado israelense na Península de Sinai, enquanto as forças de segurança do país assistiam à procissão.

Agência Estado

10 de agosto de 2013 | 21h17

Grupo rebelde pouco conhecido, o Ansar Jerusalém afirmou que os seus homens se preparavam para lançar foguetes contra Israel quando foram atingidos pelo drone. O exército egípcio alegou que um dos seus helicópteros foi responsável pelas mortes dos militantes, buscando conter as críticas por autorizar as manobras militares de Israel em seu território.

O ataque do drone israelense foi uma rara operação que pode sinalizar uma crescente cooperação entre Egito e Israel contra os militantes que atuam no norte de Sinai, após o golpe que derrubou Mohammed Morsi do poder no mês passado. Também é provável que o incidente intensifique as tensões na fronteira que já sofreu outros ataques no passado.

Centenas de pessoas, incluindo jihadistas armados, membros de tribos armadas e familiares dos mortos participaram do funeral. Os corpos dos mortos foram exibidos na traseira de picapes cobertas por bandeiras pretas contendo inscrições de versos islâmicos, que são frequentemente usadas por militantes da Al-Qaeda e também por muçulmanos. Alguns se pronunciaram durante a procissão contra Israel e o exército do Egito. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoIsraelataquefuneral

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.