Funeral de vítimas do terremoto comove a Itália

Vaticano deu autorização para missa na Sexta-Feira Santa; por medida de segurança, só familiares comparecem.

Assimina Vlahou, BBC

10 de abril de 2009 | 08h39

Milhares de pessoas participaram nesta Sexta-Feira Santa do funeral de 205 das 289 vítimas do terremoto que atingiu segunda-feira a cidade de Áquila e outros 26 municipios da região de Abruzzo, no centro da Itália.

Uma missa especial foi celebrada pelo secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone, e pelo arcebispo de Áquila, monsenhor Giuseppe Molinari. Bertone leu uma mensagem enviada pelo papa Bento 16 aos familiares das vítimas.

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, presente à solenidade, disse: "Os mortos de Abruzzo são os mortos de toda a nação. Hoje é um dia de comoção, de muita dor."

As centenas de caixões foram colocadas na praça diante da Escola da Polícia Financeira, próxima ao centro histórico de Áquila. Vinte deles - de cor branca - eram de crianças. Sobre cada um deles havia flores.

Os funerais de algumas das vítimas, de outras regiões da Itália, tinham sido realizados dias antes, nas cidades de origem.

Autorização do Vaticano

Para realizar a missa foi necessária a autorização do Vaticano porque, segundo a tradição da Igreja Católica, a Sexta-Feira Santa é o único dia do ano litúrgico em que não há celebração de missas.

Além de Berlusconi, participaram da cerimônia as principais autoridades italianas, entre eles o presidente Giorgio Napolitano, e os presidentes da Câmara e do Senado.

O papa Bento 16, que prometeu visitar a região do terremoto e os desabrigados "assim que for possível", enviou como representante seu secretário particular, monsenhor Georg Gaenswein.

Após a bênção das urnas com o rito católico, será realizado um rito islâmico para as seis vítimas de origem muçulmana - entre elas havia dois palestinos.

O funeral é transmitido ao vivo pelos principais canais de televisão italianos.

Devido aos tremores de terra que continuam ocorrendo na região de Áquila, as autoridades italianas pediram que apenas os parentes das vítimas participassem da cerimônia.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.