Funerária estima em mais de 13.000 os mortos na França

A maior rede francesa de agências funerárias estimou em 13.600 o número de mortos a mais na França, neste agosto, em comparação com o mesmo mês de 2002, aumentando as preocupações com as conseqüências da onda de calor que se abateu sobre o país. Já o primeiro-ministro Jean-Pierre Raffarin questionou a credibilidade a estimativas prematuras.A projeção do agente funerário OGF supera em 150% a maior estimativa governamental já emitida pelo governo a respeito das mortes relacionadas ao calor. Pouco depois da divulgação da projeção da OGF, o primeiro-ministro emitiu declaração pedindo ?prudência? e ?um estudo científico para estabelecer números confiáveis?. Raffarin disse que pediu ao ministro da Saúde Jean-François Mattei a formação de um comitê para estimar um número preciso.Em sua declaração, a OGF disse que fez a estimativa com base nas primeiras três semanas do mês e numa projeção para os dias restantes. A porta-voz da empresa disse que o cálculo foi baseado no número de 2.604 mortes a mais registradas pela rede. Como a OGF detém 25% do mercado, o número foi multiplicado por quatro, e depois acrescentado à estimativa futura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.