Furacão Arthur se forma na costa dos EUA

Fenômeno pode atingir categoria 2 ao passar pela Carolina do Norte e causar estragos nas comemorações do feriado de 4 de Julho 

O Estado de S. Paulo

03 de julho de 2014 | 11h53

Uma tempestade tropical que está se formando ao largo da costa leste dos Estados Unidos ameaça estragar os planos dos americanos para o feriado do Dia da Independência, comemorado nesta sexta-feira.

O Centro Nacional de Furações prevê que o Arthur chegará à costa na manhã da sexta, com ventos de até 136 quilômetros por hora. A tempestade tropical deve ocorrer na costa da Nova Inglaterra durante o dia e, eventualmente, nas províncias marítimas do Canadá, disse o instituto.

Ao norte, em Boston, uma das cidades-símbolo da independência das Treze Colônias, a festa do 4 de julho foi adiantada para esta quinta-feira, 3, em razão do potencial de chuvas fortes antes da passagem du furacão.

Um aviso de furacão foi emitido para grande parte da costa da Carolina do Norte. Alertas de tempestade tropical estavam em vigor para as zonas costeiras da Carolina do Sul e de Virgínia. Essa é a primeira tempestade nomeada da temporada no Atlântico.

Meteorologistas também esperam que o Arthur passe pela ilhas Outer Banks, na Carolina do Norte. O governador Pat McCrory advertiu os turistas no locaql para não arriscarem a sua segurança, tentando salvar seus piqueniques, churrascos e viagens de veraneio. "Não coloquem seus chapéus estúpidos", brincou o governador.

Na ilha Ocracoke, do arquipélago de Outer Banks, acessível apenas por barcos, ocorreu uma retirada voluntária. A saída obrigatória para os visitantes da ilha Hatteras começou às 5 horas locais.

Nesta quinta, a tempestade estava a cerca de 480 quilômetros a sudoeste de Hatteras e se movia em direção ao norte com velocidade de 15 quilômetros por horas e ventos máximos de 130 quilômetros por hora. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
EUAFuracão Arthur

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.