Reprodução/Nasa
Reprodução/Nasa

Furacão Dorian alcança categoria 4 e deve chegar às Bahamas no domingo

As previsões indicam que Dorian seguirá para o noroeste dos Estados Unidos nos próximos dias, atingindo os estados da Flórida, Georgia, Carolina do Sul e Carolina do Norte

Redação, O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2019 | 01h06
Atualizado 01 de setembro de 2019 | 21h00

O furacão Dorian continua ganhando força no Oceano Atlântico e, após alcançar a categoria 4 na escala Saffir-Simpsom nesta sexta-feira, 30, deve seguir para as Bahamas e para a costa leste dos Estados Unidos. De acordo com o  Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês), serão atingidos os estados da Flórida, Geórgia, Carolina do Sul e Carolina do Norte.

Dorian está com ventos constantes de 220 km/h no caminho rumo à FlóridaNa atualização do seu boletim das 5h (6h de Brasília), o NHC divulgou que o Dorian se fortaleceu e está a cerca de 490 quilômetros ao leste das ilhas do arquipélago das Bahamas e a pouco mais de 750 km ao leste de West Palm Beach, no sul da Flórida.

O ciclone se move em direção oeste-noroeste lentamente, a 19 km/h, o que faz com que ele ganhe mais potência. As novas previsões indicam que Dorian seguirá para o noroeste nos próximos dias, o que o levaria para perto da costa leste da Flórida em vez de terra adentro. Contudo, os meteorologistas do NHC advertem de possíveis ajustes adicionais à esquerda ou direita, dependendo dos diferentes modelos de projeções.

De acordo com as previsões dos meteorologistas, o olho de Dorian deve passar longe do sudeste e do centro das Bahamas neste sábado, 31. A tendência é que se aproxime ou passe pelo noroeste das Bahamas no domingo, 1º. No fim da segunda-feira, 2, deve estar perto da Flórida.

Enquanto isso, os meteorologistas antecipam que haverá mais um fortalecimento do furacão, com ventos acima de 119 km/h. Isto provocará uma maré de tempestade "potencialmente mortal" que elevará o nível do mar em até 5 metros no litoral do noroeste das Bahamas e possivelmente gerará ondas "devastadoras".

Quanto às chuvas, a expectativa é que Dorian produza notáveis acumulações de chuva desde este fim de semana até meados da próxima semana, especialmente no noroeste das Bahamas e em zonas do litoral do sudeste dos Estados Unidos.

Quando tocar o solo na Flórida, Dorian pode seguir rumo ao norte do estado através do interior da península, onde pode perder força, mas sem cair de categoria. 

Força do furacão Dorian

O primeiro-ministro das Bahamas, Hubert Minnis, advertiu que a população enfrentará um "furacão poderoso e potencialmente mortal", e que é preciso evacuar a faixa em sua rota. "Não sejam tolos tentando enfrentar este furacão. O preço que podem pagar por não sair são suas vidas".

O governador da Flórida, Ron DeSantis, pediu nesta sexta-feira que os residentes se preparem para um "evento de vários dias". Os modelos de sua trajetória preveem que tocará terra na terça-feira na costa sudeste, na altura do condado de Palm Beach, onde o presidente Donald Trump tem sua residência de verão, o clube de golfe "Mar-a-Lago".

O furacão, "extremamente perigoso", representa uma "ameaça significativa" para a Flórida e o norte das Bahamas, alerta o NHC, que enviou um avião "caçador de furacões". A aeronave confirmou que Dorian já é um furacão de "categoria maior", ou seja, a partir da categoria 3 na escala Saffir-Simpson. / EFE, AFP e  Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.