Furacão Ike castiga Texas com ventos de 177 km/h

O furacão Ike atingiu o estado norte-americano Texas na manhã deste sábado, castigando a costa com chuvas e ventos furiosos. Centenas de residências e prédios do governo ficaram alagados, alguns submersos, e as ruas foram lavadas pela pesada enxurrada provocada pelas chuvas. Há temor de que muitas pessoas não tenham obedecido as ordens para abandono da região de passagem do furacão e que tenham de ser resgatas. Embora 1 milhão de pessoas já tenham abandonado a região costeira, as autoridades calculam que aproximadamente 140 mil ignoraram as ordens de evacuação em quatro condados. Esse número deve ser maior, segundo prevêem as autoridades, já que alguns condados ainda não informaram quantos obedeceram as ordens de evacuação.Segundo o boletim mais recente do Centro Nacional de Furacões, o Ike está saindo de Houston e deve seguir para o nordeste, em direção ao Arkansas, mantendo-se na categoria 2, em que atingiu a costa. Os meteorologistas acreditam que o furacão não será rebaixado de categoria até o final deste sábado, mas os ventos máximos devem perder força para 161 quilômetros por hora. O olho do furacão tocou a costa às 4h10 (de Brasília), em Galveston, com ventos de 177 quilômetros por hora, caracterizado como categoria 2. Como o Ike é muito amplo - quase do tamanho do estado do Texas - os ventos puderam ser sentidos horas antes de chegar à costa e devem persistir por horas na região. Cerca de 2,9 milhões de pessoas ficaram sem energia elétrica e as companhias distribuidoras de energia informam que o restabelecimento total da situação ocorrerá somente em algumas semanas.A companhia de resseguros Flagstone informou que suas estimativas preliminares são de que as perdas totais para as empresas que presta seguro provocadas pelo furacão irão ficar entre US$ 10 bilhões a US$ 16 bilhões. Bombeiros foram obrigados a deixar que três edifícios pegassem fogo em Galveston, porque a água estava alta demais para que chegassem ao local. A unidade em Galveston da Universidade Médica do Texas ficou alagada. O furacão Ike é o maior a atingir uma região metropolitana norte-americana desde que o furacão Katrina devastou New Orleans três anos atrás. Em Houston, quarta maior cidade dos EUA, os ventos castigaram arranha-céus de vidro e cacos voaram pelas ruas da cidade. Espera-se que o porto de Houston também fique inundado. O porto é o segundo mais utilizado nos Estados Unidos e um complexo vital para várias indústrias, incluindo a de petróleo e a agrícola. Em antecipação à chegada do furacão Ike, 13 refinarias localizadas na costa do Texas foram abandonadas. Elas representam um quinto da capacidade de refino norte-americana, produzindo, juntas, 3,7 milhões de barris de petróleo ao dia.O secretário de Segurança Doméstica, Michael Chertoff, descreveu a chegada do Ike como "potencialmente catastrófica". "É um monstro em termos de potencial de inundação", disse, prevendo ainda que grande parte da costa do Texas ficará alagada. As informações são da Associated Press e Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.