Furacão Ike deixa 2,8 milhões sem energia no Texas

O Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, sigla em inglês) informou às 18 horas, horário de Brasília, que o furacão Ike perdeu força ao passar do Golfo do México para terra firme, no Texas, passando a ser categorizado não mais como um furacão, mas como uma tempestade tropical. Nesse horário, ele mantinha ventos sustentados de 75 quilômetros por hora. Segundo o governo estadual texano,2,8 milhões de pessoas estavam sem energia elétrica neste sábado por causa da passagem do furacão. A Entergy Corp., uma das provedoras de energia da região, disse que quase 100% de seus 395 clientes estavam sem eletricidade. "Estamos vendo danos mais extensos do que os causados pelo furacão Rita em 2005", disse David Caplan, porta-voz da Entergy. Ele estimou que poderá levar mais de três semanas para que o fornecimento seja restabelecido. A CenterPoint Energy, por sua vez, informou que 2,1 milhões de seus clientes, de um total de 2,26 milhões, ficaram sem energia na região de Houston, por causa de danos causados por Ike na rede de transmissão de alta voltagem. Em Washington, o presidente norte-americano George W. Bush declarou estado de desastre em 29 condados do Texas, disponibilizando recursos federais para a recuperação. Quatro pessoas morreram em conseqüência da tempestade. Na ilha de Galveston, na costa texana, os bombeiros resgataram 27 pessoas que haviam preferido não atender às ordens de retirada obrigatória e ficaram ali quando Ike atingiu o local.O NHC alerta para os próximos rumos da agora tempestade tropical. "Ike está se movendo para o norte a 30 quilômetros por hora", disse o informe do instituto. "Uma virada para o nordeste e um aumento na velocidade de avanço são esperados para hoje à noite e amanhã. Na trajetória prevista, o centro de Ike deverá continuar a mover-se no nordeste do Texas e entrar no sudoeste do Arkansas hoje à noite". As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.