Furacão Irene atinge ilhas das Bahamas

O furacão Irene avançou pelo arquipélago das Bahamas nesta quarta-feira, atingindo principalmente as ilhas pequenas e pouco povoadas do país, embora represente uma ameaça menor à capital Nassau, seu principal destino turístico.

AE, Agência Estado

25 de agosto de 2011 | 11h40

Não há informações imediatas sobre feridos graves ou mortos, mas danos patrimoniais devem ser grandes nas ilhas Acklins e Crooked, na parte sul do arquipélago, disse o capitão Stephen Russell, diretor da Agência Nacional de Gestão de Emergências.

Um local conhecido como Lovely Bay foi destruído e pelo menos 40 casas ficaram danificadas na ilha de Mayaguana, informou a agência. As autoridades ainda avaliam os relatos sobre danos sofridos e há poucos detalhes sobre a destruição provocada por Irene.

Grandes danos também são esperados na ilha de Eleuthera, Rum Cay e Cat, que devem ser completamente expostas aos fortes ventos de Irene, que nesta quinta-feira haviam perdido um pouco de velocidade para 185 quilômetros por hora.

"Isso pode ser devastador para algumas dessas ilhas", disse Russel.

O Centro Nacional de Furacões em Miami, Flórida, informou nesta quinta-feira que "uma tempestade extremamente perigosa vai elevar os níveis das águas entre 2 e 3 metros acima dos níveis normais das ondas nas Bahamas". "Esta elevação será acompanhada por ondas grandes e perigosas" e Irene deve provocar chuvas entre 150 milímetros e 300 milímetros nas ilhas nas próximas 36 horas, disse o centro em seu site.

O olho do furacão Irene continuava a se mover pelo noroeste das Bahamas nesta quinta-feira, antes de tomar a direção norte, para a costa norte-americana. O rumo atual do furacão indica que ele deve passar pela Carolina do Norte na tarde de sábado.

Um alerta de furacão foi emitido na manhã desta quinta-feira para a maior parte da costa da Carolina do Norte. Um alerta de furacão significa que o fenômeno pode acontecer em 36 horas. Um alerta para tempestades tropicais também foi emitido para grande parte da costa da Carolina do Sul.

Às 9h (de Brasília), o olho do furacão de categoria 3 estava a cerca de 150 quilômetros lés-nordeste de Nassau. Meteorologistas disseram que seus ventos vão aumentar rapidamente e Irene deve se tornar um furacão de categoria 4, com ventos de pelo menos 210 quilômetros por hora. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
AtlânticofuracãoIreneBahamas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.