NASA Goes Project/AFP
NASA Goes Project/AFP

Furacão Irma chega à categoria 4 no Caribe e Flórida decreta emergência

O olho de Irma pode passar na quinta e na sexta-feira ao norte da República Dominicana, Haiti e Cuba, e depois seguir diretamente sobre as Bahamas e o sul da Flórida no fim de semana

O Estado de S.Paulo

04 Setembro 2017 | 20h32

MIAMI - O furacão Irma aumentou sua intensidade para categoria 4 nesta segunda-feira, 4, em seu avanço para as ilhas do Caribe, onde chegará entre terça e quarta-feira, enquanto a Flórida declarou estado de emergência diante da aproximação do fenômeno.

"Irma é um furacão de categoria 4 na escala Saffir-Simpson (que vai até 5). Espera-se que se fortaleça mais nas próximas 48 horas", escreveu o Centro Nacional de Furacões (NHC), com sede em Miami, em seu boletim das 21h GMT (18h em Brasília).

Em uma ordem executiva, o governador da Flórida, Rick Scott, declarou estado de emergência em todos os condados do Estado, a fim de liberar recursos para que as administrações locais e estatais estejam preparadas para a chegada desta "perigosa tempestade" no fim da semana.

Na tarde de segunda-feira, o olho de Irma estava 790 km ao leste das Antilhas Menores e soprava com ventos máximos sustentados de 215 km/hora.

Em seu deslocamento em direção oeste a 20 km/hora, espera-se que passe sobre este grupo de ilhas entre a noite de terça-feira e a manhã de quarta-feira, quando alcançará também Porto Rico.

O NHC colocou sob advertência de furacão as ilhas antilhanas de Antígua, Barbuda, Anguilla, Montserrat, São Cristóvão e Nevis, entre outras, e sob vigilância de furacão Porto Rico, as Ilhas Virgens e Guadalupe.

A advertência indica que o furacão é iminente nas próximas 36 horas, enquanto a vigilância assinala que a sua chegada acontecerá em 48 horas.

Segundo a trajetória projetada pelo NHC, o olho de Irma pode passar na quinta e na sexta-feira ao norte da República Dominicana, Haiti e Cuba, e depois seguir diretamente sobre as Bahamas e o sul da Flórida no fim de semana.

O NHC acrescentou que o fenômeno provocará um aumento de até três metros no nível normal do mar e acumulo de chuvas de até 25 cm, além de ondas "grandes e destrutivas".

A Flórida declarou estado de emergência em seus 67 condados como medida preventiva, visto que se desconhece a intensidade com que Irma atingirá a região.

"O furacão Irma é uma tempestade grande e implica risco de morte, e a Flórida deve estar preparada", escreveu o governador Rick Scott em um comunicado.

"Na Flórida, sabemos que a melhor forma de proteger nossas famílias em condições climáticas graves é tendo um plano", continuou, pedindo que a população revise suas provisões e busque abrigos próximos às suas casas.

Em Porto Rico (território americano), o governador Ricardo Rosselló Nevares ativou a Guarda Nacional e anunciou a habilitação de abrigos para 62 mil pessoas, assim como a suspensão das aulas. 

Um porta-aviões americano, que conta com 30 helicópteros, foi mobilizado para ajudar em casos de emergência em Porto Rico, anunciou o diretor da Divisão do Caribe da Agência Federal para o Manejo de Emergências (FEMA), Alejandro de la Campa.

A ameaça do Irma chega poucos dias depois da passagem feroz do furacão Harvey sobre a costa sul dos Estados Unidos, no Texas e em Lusiana, onde deixou mais de 40 mortos e causou danos no valor de entre US$ 30 bilhões e US$ 100 bilhões. / AFP 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.