EFE/Marinha dos Estados Unidos
EFE/Marinha dos Estados Unidos

Após atingir ilha de Dominica, Furacão Maria é reduzido à categoria 4

Primeiro-ministro afirma que "se perdeu tudo o que podia perder"; fenômeno deve chegar a Porto Rico e ilhas Virgens após os EUA terem retirado cerca de 72 pessoas da região

Das agências de notícias, O Estado de S.Paulo

18 Setembro 2017 | 17h35
Atualizado 19 Setembro 2017 | 04h48

O furacão Maria ganhou força ao longo desta segunda-feira, 18, e chegou agora à categoria 5, a máxima na escala Saffir-Simpson, com ventos de 260 km/h, segundo o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC).  No final da noite ele se dirigu para uma colisão com as ilhas do Caribe Oriental e atingiu em cheio a Ilha de Dominica. Segundo o NHC, por volta das 2 horas (3 horas no horário de Brasília), já reduzido à categoria 4, passou a se mover na direção noroeste do Caribe, sentido Porto Rico.

+++ Tempestade Max se transforma em furacão e ameaça provocar fortes chuvas no sul do México

A região da ilha de Dominica,um pouco a cima da costa leste da Venezuela, foi atingida por ventos de velocidade superior a 249km/h.  Dominica, uma antiga colônia francesa com pouco mais de 70 mil habitantes, sofreu com uma tempestade torrencial durante horas, o que provocou inundações e o destelhamento de casas. Segundo o primeiro-ministro Roosevelt Skerrit, a região "perdeu tudo o que poderia perder" com o furacão, que perdeu força após tocar terra e agora registra intensidade 4. 

O inspetor de polícia Pellam Jno Baptiste disse na noite desta segunda-feira, 18, que ainda não havia relatos oficiais de danos provocados pelo Maria, mas que ainda era impossível, por causa das condições climáticas, verificar os estragos pessoalmente. "Onde estamos, não podemos sair", disse Baptiste, em rápida entrevista telefônica.

+++ Aluna pede para levar cachorro para aula por conta de furacão e recebe resposta surpreendente

O primeiro-ministro Skerrit relatou a chegada do furacão em tempo real. "Os ventos são inclementes!", escreveu no Facebook. Pouco depois, ele afirmou que sua casa estava inundada e que ele já fora resgatado, sem dar detalhes.

Em Porto Rico, onde moram pelo menos 3,4 milhões de pessoas, o furacão deve chegar na quarta-feira. Segundo o governador do território, Ricardo Rosselló, o presidente americano Donald Trump declarou  estado de emergência  em Porto Rico e Ilhas Virgens, de onde pelo menos 72 pessoas, entre estuadantes, professores e funcionários da Universidade de Barry foram retiradas e levadas a Miami.   

Alerta

Foi disparado alerta para o furacão nos territórios das Ilhas Virgens, Porto Rico, Guadalupe, Dominica, St. Kitts, Nevis e Montserrat. Tanto as Ilhas Virgens quanto Porto Rico sofreram muito com a força do furacão Irma há poucos dias, quando 26 pessoas no Caribe morreram e várias cidades ficaram sem luz.

Maria pode atingir Porto Rico entre terça e quarta-feira, como nível 3 ou 4, disse Ernesto Morales, do Serviço Meteorológico Nacional dos Estados Unidos em San Juan. "Esta tempestade promete ser catastrófica para a nossa ilha. Porto Rico experimentará ventos de força de furacão", disse. 

O território americano impôs o racionamento de suprimentos básicos, incluindo água, leite, alimentos enlatados, baterias, lanternas e outros itens nesta segunda-feira.

Mais conteúdo sobre:
Porto Rico [PR] furacão tempestade

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.