Furacão Raymond ganha força e direciona-se ao México

O furacão Raymond ganhou força nesta segunda-feira à medida que se aproxima da costa do México no Pacífico, já devastada nos últimos meses pela tempestade tropical Manuel. Segundo o Centro Nacional de Furacões dos EUA, Raymond passou para a categoria 3, com ventos de 120 quilômetros por hora a 265 quilômetros a sudeste de Acapulco. A expectativa é que o furacão se aproxime da costa amanhã, antes de recuar para o oceano na quarta-feira.

AE, Agência Estado

21 de outubro de 2013 | 13h25

As autoridades mexicanas mobilizaram equipes de emergência e informaram que estão considerando ordens de evacuação das áreas mais próximas da costa. Cerca de 10 mil pessoas já estavam desalojadas de suas casas após a tempestade Manuel ter inundado bairros e causado deslizamentos de terra que soterraram boa parte de uma cidade. Além disso, o terreno encharcado ainda apresenta sérios riscos de deslizamentos.

O diretor da Comissão Nacional de Águas do México, David Korenfeld, disse que as autoridades estão torcendo para que uma frente fria movendo-se do norte possa ajudar a empurrar o furacão para longe da costa. "A frente fria que está chegando é o que faria o furacão virar à esquerda, mas isso é um modelo. Se a frente fria se aproximar mais lentamente, então o furacão poderá chegar mais perto da costa", disse Korenfeld.

As previsões, no entanto, são de que mesmo que o furacão Raymond não atinja a costa, a tempestade poderá causar fortes chuvas e novas inundações e deslizamentos de terra ao longo da costa do centro do México até o sul do país. "Haverá chuva pelas próximas 72 horas ao longo da costa do Pacífico, muita chuva forte, chuvas torrenciais", alertou Korenfeld.

O centro do furacão Raymond estava a 185 quilômetros a sudeste do resort de Zihuatanejo, com ventos contínuos de 195 quilômetros por hora na manhã de hoje. Um alerta de furacão foi emitido de Tecpan de Galeana até a costa de Acapulco, ao norte do porto de Lázaro Cárdenas.

Autoridades no Estado de Guerrero, onde a tempestade tropical Manuel causou cerca de 120 mortes devido às enchentes e deslizamentos de terra ocorridos em setembro, determinaram o fechamento de portos e a abertura de 700 abrigos emergenciais e apelaram aos residentes em áreas de risco para adotarem precauções para a chegada do furacão Raymond.

Há expectativa de que possam ser determinadas mais evacuações ainda hoje, incluindo as áreas de Acapulco próximas da costa que foram inundadas quando da passagem da tempestade Manuel. Foram canceladas aulas nas comunidades próximas da costa a oeste de Acapulco, incluindo Zihuatanejo, já que as escolas geralmente são utilizadas como abrigos emergenciais. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
méxicofuracão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.