Furacão Sandy vira 'ciclone pós-tropical'

Tormenta, entretanto, não perdeu força, informaram autoridades; chuva e ventos de até 140 km/h já causam estragos.

BBC Brasil, BBC

29 de outubro de 2012 | 22h12

A poucos minutos de atingir a costa leste dos Estados Unidos, o furacão Sandy foi reclassificado, por suas características climáticas, como uma "tempestade pós-tropical", informou na noite desta segunda-feira o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês), que, no entanto, alertou que a chuva torrencial e os ventos fortes de até 140 km/h não perderam força e ainda podem causar grandes estragos na região.

Autoridades já temem que a tormenta se torne uma das maiores catástrofes naturais da histórica recente dos EUA, causando prejuízos bilionários e deixando milhares de desabrigados.

Desde o último fim de semana, o então furacão já causou a paralisação de importantes serviços em diversas Estados americanos, de cancelamento de voos ao fechamento de escolas e transportes públicos.

Segundo a imprensa local, pelo menos 2,2 milhões de pessoas em 11 Estados americanos, além do Distrito de Colúmbia, já estariam sem luz devido à tempestade. A distribuidora de energia National Grid informou que até 60 milhões de americanos podem ficar às escuras nas próximas horas.

As chuvas torrenciais e os ventos fortes já forçaram milhares a abandonar suas casas e apartamentos.

Os meteorologistas preveem que a colisão da tempestade com uma frente fria, assim que a tormenta atinja o solo americano, criaria uma "super tempestade" que provocaria um aumento rápido do nível dos rios, possíveis tempestades de neve e cortes de energia da Carolina do Norte ao Maine.

Segundo o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês), às 19h (21h de Brasília), Sandy estava a 32 km ao sul de Atlantic City e deveria atingir terra firme em menos de uma hora.

As autoridades afirmaram, ainda, que as marés altas, influenciadas pela lua cheia, podem elevar o nível de água em até 3,5 metros.

Subiu também de nove para 12 o número de Estados americanos a declarar estado de emergência, além do distrito de Colúmbia, onde se localiza a capital do país, Washington.

Devido à tempestade, mais de 2 milhões de estudantes tiveram as aulas canceladas em Nova York, Filadélfia, Boston e Baltimore, enquanto o acesso a universidades e repartições federais em Washington, além de edifícios públicos foi bloqueado.

A Bolsa de Nova York foi fechada nesta segunda-feira e permanecerá assim na terça-feira. Desde 1985, o pregão da cidade não era fechado por causa de um fenômeno climático, quando o furacão Glória atingiu a 'Big Apple'.

A tormenta também provocou o cancelamento de milhares de voos, incluindo entre o Brasil e os EUA. Pelo menos 16 voos foram cancelados entre os dois países.

Nova York em alerta

Uma das cidades onde a tempestade pode causar grandes estragos é Nova York, alertam os especialistas. As ruas da 'Big Apple' amanheceram vazias nesta segunda-feira.

O sistema de transportes públicos, como o metrô da cidade, permanece interrompido.

Ainda entre as medidas de precaução estão a retirada de 375 mil pessoas das áreas de risco, e sua transferência para 76 abrigos montados em escolas.

Na ilha de Manhattan, autoridades bloquearam as ruas próximas a um edifício residencial de 80 andares em construção, onde um guindaste corria o risco de cair de tanto balançar.

O governador de Nova Jersey, Chris Christie, foi enfático em sua recomendação: "Não seja idiota, saia".

Muitos moradores estão estocando alimentos e mantimentos como forma de precaução.

O presidente Barack Obama e seu rival, o republicano Mitt Romney, tiveram de cancelar diversos eventos de suas campanhas para a Presidência dos Estados Unidos.

Votações antecipadas, que estavam previstas para ser realizadas em diferentes partes do país, foram canceladas.

Por onde passou, o furacão Sandy causou estragos. A tormenta atravessou o Caribe na semana passada, deixando pelo menos 67 mortos, 51 dos quais no Haiti. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.