Fusão da AA com TWA não tem data

A Justiça norte-americana aprovou a venda dos ativos da companhia aérea Trans World Airlines (TWA) para a concorrente American Airlines na última segunda-feira. Mas o acordo de US$ 742 milhões, previsto para ser concluído em abril, pode estar longe do final. Isso porque o Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DOJ) ainda precisa aprovar o acordo. Assim que o juiz Peter Walsh autorizou a venda da TWA para a American, o DOJ começou a revisar a compra da TWA e pode até mesmo cancelar o negócio, se encontrar problemas nas leis antitruste.Além disso, a data para uma decisão do Departamento ainda não foi definida e nem deve sair tão cedo. A porta-voz do DOJ Gina Talamona disse à Agência Dow Jones que a questão ainda está sendo avaliada e não soube informar quando será encerrada."Estamos trabalhando com a justiça e esperamos receber notícias em breve", disse Al Becker, porta-voz da American. "Uma vez que tivermos o aval do DOJ, começaremos a finalizar" a fusão das duas empresas, disse.A fusão não é bem vista por alguns legisladores norte-americanos, que estão preocupados com uma consolidação entre as companhias aéreas. A TWA, porém, tem um argumento forte. A empresa alega que, caso não seja comprada pela American Airlines, terá que pedir falência, o que deixaria 20 mil funcionários da TWA sem emprego.Na segunda-feira, o juiz federal Peter Walsh aceitou a oferta que a American fez pela concorrente justamente por temer que a TWA seria obrigada a liquidar seus ativos caso um acordo não fosse completado.Nova unidadeEnquanto a justiça não chega a uma conclusão, a TWA será transformada em uma unidade da American. A TWA Airlines LLC, novo nome da empresa, foi criada para facilitar o processo de fusão, disse o porta-voz Becker.Nesse período, a American precisa transferir os certificados de operação da TWA, treinar novamente os funcionários da concorrente para que se ajustem à nova cultura e unificar os sistemas de tecnologia de informação.Uma vez que o acordo seja aprovado pelo DOJ, a TWA Airlines LLC será dissolvida. A American, entretanto, não pode prever quando isso vai acontecer. "Essa é uma enorme e complexa tarefa, mas estamos certos de que a fusão é o melhor caminho", disse Becker."Vemos essa nova unidade como uma ponte para completar uma grande tarefa de integração."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.