Fusão da Yukos com multinacionais "sem sentido", diz novo presidente

O novo presidente da Yukos, o norte- americano Simon Kukes, afirmou hoje ao diário Sunday Telegraph que "não faz sentido" uma fusão da petrolífera russa com multinacionais do setor da energia. "Não vejo quaisquer sinergias entre os nossos campos petrolíferos e essas empresas", como a Exxon Mobil ou a Chevron Texaco, afirmou o empresário de origem russa. Enquanto presidente de outra petrolífera russa, a TNK, Kukes liderou o processo de fusão com a britânica BP. Num processo de fusão envolvendo a Yukos, considera, "não são claras as sinergias, como o eram entre a BP e a TNK". "Se algum desses grupos quiser falar acerca de uma joint- venture ou outra coisa, bom, é ótimo. Mas se quiserem comprar ações na empresa, vão ter que falar com os acionistas", adianta Kukes. O interesse na Yukos, da parte de multinacionais como a norte- americana Exxon Mobil, foi confirmado pelo chefe de Estado russo, Vladimir Putin. Ainda na entrevista ao Telegraph, o novo presidente da Yukos procura distanciar-se de Khodorkovsky, o maior milionário russo, detido pela autoridades no início de Novembro sob acusação de fraude e evasão fiscal. "Mantive distância em relação a ele, enquanto pessoa... desejo- lhe boa sorte, mas o problema é dele", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.