Futuro secretário de Defesa é um velho amigo da família Bush

O substituto escolhido pelo presidente americano, George W. Bush, para o lugar de Donald Rumsfeld à frente do Departamento de Defesa e, por extensão, da guerra no Iraque, Robert ?Bob? Michael Gates, de 63 anos, é um velho amigo da família Bush - além de um ex-agente e ex-diretor da CIA. Gates foi o único agente da CIA, à qual se integrou em 1966, a subir de funcionário recém-contratado a diretor da organização de espionagem. Ele atuou na comunidade de inteligência durante 26 anos, sob seis diferentes presidentes dos Estados Unidos. No ano passado, Bob Gates chegou a ser sondado para o novo posto de ?czar da espionagem?, cargo criado para supervisionar a atuação de todas as agências de informação do governo americano. Reitor da Universidade Texas A&M, recusou o convite. O novo secretário de Defesa é autor de um livro de memórias, From the Shadows: The Ultimate Insider´s Story of Five Presidents and How They Won the Cold War (?Das Sombras: A História Definitiva de um Colaborador de Cinco Presidentes, e Como Eles Venceram a Guerra Fria?), publicado em 1996. Gates é um amigo íntimo do primeiro presidente George Bush, pai do atual mandatário. Foi o primeiro Bush quem o nomeou para o comando da CIA. Ele chegou a ser investigado por conta do escândalo Irã-Contras, durante o governo de Ronald Reagan, mas não chegou a ser indiciado. Antes de assumir a reitoria da Texas A&M, ele havia atuado como diretor interino da Escola de Governo e Serviço Público George Bush, mantida na Universidade. A Escola abriga a biblioteca presidencial do pai do atual presidente. O futuro secretário de Defesa - seu nome ainda precisa ser confirmado pelo Senado - é natural de Wichita, Kansas, onde nasceu em 25 de setembro de 1943. Tem um doutorado em história russa e soviética, obtido em 1974.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.