Fuzileiro se declara culpado por morte de iraquiano

O fuzileiro naval americano Robert Pennington, de 22 anos, se declarou culpado, nesta terça-feira, 13, das acusações de conspiração no caso da morte do civil iraquiano Hashem Ibrahim Awad, de 52 anos, na aldeia de Hamdania.Pennington é o quinto soldado a se declarar culpado, de um total de sete marines e um marinheiro, acusados de assassinato, seqüestro, conspiração, agressão, invasão de propriedade e morte de Awad, em abril de 2006.A declaração de culpa de Pennington terá agora que ser aceita formalmente por um juiz de uma corte marcial na base militar californiana de Camp Pendleton, ao norte de San Diego. Em 18 de janeiro, o cabo Trent Thomas, acusado pelo assassinato e seqüestro de Awad, foi o último a admitir sua culpa.Em sua declaração, assinalou que levou o homem até a beira de uma passagem e que depois se retirou para dar a impressão que tinha encontrado alguém instalando artefatos explosivos. No entanto, posteriormente Thomas voltou atrás em sua declaração.A corte marcial de Camp Pendleton voltou a acusar Thomas nesta terça-feira. O caso é mais um de uma série de fatos similares que atinge militares americanos acusados de crimes cometidos contra civis iraquianos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.