Fuzileiros americanos são acusados de estuprar jovem japonesa

Governo do Japão e Marinha americana abrem investigações para apurar denúncia contra quatro fuzileiros

Efe,

19 de outubro de 2007 | 14h58

A polícia japonesa investiga uma acusação de estupro feita por uma jovem de 19 anos contra quatro marines da base americana de Iwakuni, no sudoeste do país, informou nesta sexta-feira, 19, a agência Kyodo.  Os quatro marines são suspeitos de ter atacado a mulher no último dia 14, depois de a conheceram em um bar, informou a polícia local. Os homens a teriam colocado em um carro e a levado para uma área de estacionamento a cerca de 2 quilômetros do local do encontro. Os quatro homens teriam estuprado a jovem. A mulher apresentou uma denúncia e a base de Iwakuni divulgou um comunicado afirmando estar ciente dos eventos. No comunicado, os responsáveis da base militar americana afirmam que colaborarão ao máximo com as autoridades japonesas. A embaixada americana em Tóquio informou em um comunicado estar "ciente do incidente". "Nós encaramos acusações dessa natureza de maneira muito séria", diz a nota. O ministro da Defesa japonês, Shigeru Ishiba, disse à imprensa que a investigação continua em andamento, mas que, se a acusação for verdadeira, será "profundamente lamentável".A polícia de Hiroshima planeja pedir que os quatro marines sejam transferidos para sua custódia, segundo prevê o tratado bilateral entre Tóquio e Washington sobre a presença militar americana no Japão. O acordo garante a presença no Japão de 50 mil homens das Forças Armadas dos Estados Unidos.  Outros casos Essa não é a primeira vez que um caso de estupro de uma jovem japonesa por militares americanos choca o país.  Em 1995, o estupro de uma estudante japonesa de 12 anos por três soldados americanos na cidade de Okinawa espalhou protestos por todo o Japão. Os militares foram condenados a sete anos de prisão em 1996, e cumpriram pena no país asiático. Além dos problemas relacionados à violência, muitos japoneses reclamam da poluição e do barulho gerado pelas bases americanas no país.

Tudo o que sabemos sobre:
JapãoestuproEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.