Fuzileiros serão processados por morte de iraquiano

Três fuzileiros navais americanos serão processados em uma corte marcial pelo assassinato de um iraquiano morto na cidade de Hamdania, informou o Corpo dos Fuzileiros Navais nesta segunda-feira.O general James Mattis, que comandará o caso, disse que não pedirá a pena de morte para os suspeitos.Os três processados estão entre sete fuzileiros e um marinheiro acusados pelo seqüestro e assassinato de Hashum Ibrahim, de 52 anos, morto em abril. Os outros cinco envolvidos serão ouvidos nas próximas semanas.Segundo promotores, os militares seqüestraram Awad, amarraram seus pés, o arrastaram para fora de casa e atiraram contra ele nas proximidades de uma estrada. Os sete fuzileiros estão presos desde maio no quartel de Camp Pendleton, Califórnia.A decisão de processar os fuzileiros veio após interrogatórios preliminares com os soldados John Jodka, de 20 anos, Marshall L. Magincalda, de 23, e Jerry E. Shumate, de 21. Os outros quatro fuzileiros e o marinheiro suspeitos de terem participado do crime serão ouvidos nos próximos dias, e também poderão ser indiciados.Os militares também enfrentarão acusações por conspiração, violação de domicílio e prisão equivocada.Texto ampliado às 18h44

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.