G-20 deve definir meta de reforma para aprovação em novembro

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse neste sábado que os ministros do G-20 devem definir, na reunião de amanhã, a meta de formatar uma reforma financeira mínima, com três ou quatro pontos, para ser apresentada e aprovada no encontro de Seul em novembro. "Esses pontos dizem respeito à transparência em derivativos, maior aporte de capitais e diminuição do risco", afirmou. "Temos condições de, até a reunião de Seul, termos a proposta formatada para ser aprovada", avaliou o ministro, em entrevista a jornalistas no centro de imprensa do G-20 em Toronto, no Canadá. A partir da aprovação, a reforma teria o prazo até 2012 para ser implementada.

LUCIANA XAVIER, Agência Estado

26 Junho 2010 | 20h31

Mantega disse hoje que o setor financeiro, que foi o centro da crise global recente, ainda não se recuperou. "O setor financeiro ainda está fragilizado e não inspira confiança", disse "Então, é necessário que nós possamos completar a reforma do sistema financeiro."

De acordo com o ministro, o tema também tem gerado divergências. "Também aí alguns países resistem e querem postergar as reformas. Vamos ser bastante assertivos de que precisamos estabelecer um calendário para a aprovação da reforma financeira, para que seja aprovada na reunião de Seul", disse.

Mantega disse que a reforma visa proporcionar um sistema financeiro mais transparente e menos arriscado para a economia e investidores. Ele lembrou da necessidade de aumentar as exigências de capital, dar mais solidez ao sistema financeiro e de se fazer testes de estresse. "Nesse caso houve um avanço. Os EUA já fizeram (os testes) e ganharam muito fazendo isso. Agora os bancos europeus concordaram em fazer também."

Mais conteúdo sobre:
G-20Mantega

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.