G-8 exige que o Irã suspenda enriquecimento de urânio

Líderes do G-8 (grupo dos sete países mais ricos do mundo e a Rússia) exigiram hoje, durante encontro no Japão, que o Irã interrompa imediatamente seu programa de enriquecimento de urânio e pediu que o país responda positivamente à mediação internacional. Os líderes pediram que o Irã esteja totalmente de acordo com as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) "em particular com a de suspensão de todas as atividades relacionadas a enriquecimento de urânio".Os líderes do G-8, composto por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Itália, Japão e Rússia, apóiam um esforço de mediação de seis países "para resolver a questão de modo inovador, por meio de negociação, e pedem que o Irã responda positivamente".O enriquecimento de urânio é um processo essencial para a geração de combustível usado no funcionamento das usinas nucleares. Em grande escala, o urânio enriquecido pode ser usado para carregar ogivas atômicas.Os Estados Unidos e alguns de seus aliados acusam o Irã de desenvolver em segredo um programa nuclear bélico. O governo iraniano nega, assegura que suas usinas atômicas têm fins estritamente pacíficos de geração de energia elétrica e já declarou em diversas ocasiões que não pretende interromper suas atividades nucleares.A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), braço da Organização das Nações Unidas (ONU) responsável por acompanhar a obediência às regras do Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP) por parte dos signatários do acordo, considera o programa nuclear civil do Irã dentro da legalidade. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.