G-8 pede medidas antiterrorismo aos ministros das Finanças

Os líderes do G-8 (sete países mais industrializados, mais a Rússia) pediram aos seus respectivos ministros das Finanças que elaborem uma lista de sanções e medidas financeiras para cortar o fluxo de recursos aos terroristas. A Itália detém a presidência rotativa do grupo.Os líderes do G-8 também pediram aos ministros das Relações Exteriores, Justiça e outras áreas relevantes que apresentem uma lista de medidas adicionais a serem adotadas para identificar e impedir ameaças terroristas. As medidas deverão envolver a segurança na aviação, o controle de exportação de armas, além da cooperação de serviços e segurança."Ao identificar e implementar medidas específicas, mostramos nossa determinação de levar à Justiça aqueles que cometeram estas atrocidades, para combater todas as formas de terrorismo, para evitar novos ataques e fortalecer a cooperação internacional na luta contra este flagelo", disseram os líderes em um comunicado. Os líderes do G-8 condenaram os ataques terroristas, que classificaram como "uma ofensiva contra pessoas inocentes e contra interesses e valores centrais à comunidade internacional".O grupo também exortou os membros das Nações Unidas a adotarem medidas efetivas para manter a paz e a segurança. "As 12 convenções das Nações Unidas contra o terrorismo estabelecem os padrões para a ação internacional na luta contra o terrorismo", disseram os líderes. "Em resposta aos brutais eventos do dia 11 de setembro, nós exortamos todos os países a ratificar estes instrumentos o mais rapidamente possível e a implementar os termos destas convenções imediatamente, mesmo antes da ratificação".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.