Guido Bergmann/Courtesy of Bundesregierung/Handout via REUTERS
Guido Bergmann/Courtesy of Bundesregierung/Handout via REUTERS

G-7 pede que empresas de internet ajudem a remover conteúdo extremista da rede

Temos de ter determinação para garantir todos os níveis da luta antiterrorista, diz a premiê britânica, Theresa May

O Estado de S.Paulo

26 Maio 2017 | 14h27

TAORMINA, ITÁLIA - Líderes dos sete países mais ricos do mundo, o G-7, reunidos na cidade de Taormina, na Itália, divulgaram um comunicado conjunto nesta sexta-feira, 26, contra o avanço do terrorismo global e pediram que as grandes empresas de tecnologia contribuam para remover conteúdo extremista de redes sociais. Participaram da reunião chefes de Estado e governo de EUA, Canadá, Reino Unido, França, Itália, Alemanha e Japão. 

"O G-7 pediu aos provedores de internet e redes sociais que aumentem substancialmente seus esforços para resolver o problema do conteúdo terrorista", diz o comunicado. 

A primeira-ministra britânica, Theresa May, agradeceu aos demais países por tratar do tema - quatro dias depois do atentado em Manchester, que deixou 22 mortos em um show da cantora Ariana Grande. "Temos de ter determinação para garantir todos os níveis da luta antiterrorista", disse May.  

Os países do G-7 também concordaram em ampliar a colaboração para eliminar o risco proveniente do fluxo de militantes vindos de zonas de conflito. O grupo também expressou seu compromisso de tomar ações conjuntas para coibir o financiamento de grupos radicais. 

Por fim, o G-7 reconheceu a importância de compartilhar dados de inteligência entre as autoridades competentes para impedir novos ataques. / AFP, EFE e REUTERS 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.