Gabinete aprova versão moderada de plano de Sharon

O governo do primeiro-ministro deIsrael, Ariel Sharon, aprovou hoje uma versão moderada de seuplano de retirada da Faixa de Gaza que adia por meses odesmantelamento de assentamentos judaicos, mas pode impedir umcolapso de sua administração. Sob um compromisso entre Sharon e seus ministros de linhadura, o gabinete obteve um apoio em princípio à sua estratégiade "desengajamento", mas adia qualquer retirada dosassentamentos até uma nova votação - que deve ocorrer somenteapós março de 2005. O vago acordo de última hora - aprovado por 14 a 7 - satisfezos três ministros do Likud que se haviam mostrado reticentes.Trata-se do ministro das Finanças, Binyamin Netanyahu, durorival de Sharon na condução do partido, o chanceler, SilvanShalom, e o ministro da Educação, Limor Livnat. Sharon declarou hoje que a aprovação da retirada de Gazamostra que "Israel está fazendo seu futuro com suas própriasmãos". "O governo decidiu hoje que até o final de 2005 Israeldeixará (todos os 21 assentamentos em) Gaza e quatroassentamentos na Cisjordânia. A maioria das pessoas em Israelentende o tremendo significado do plano... É uma decisão que éboa para a política e a economia de Israel e para a demografiado povo judaico na terra de Israel", disse Sharon. "Israel não pretende esperar mais pelos palestinos. Elesentendem que se não trabalham para liquidar o terror vãocontinuar a perder importantes vantagens", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.