Gabinete da Tailândia aprova realização de referendo

O gabinete de ministros da Tailândia fechou acordo para a realização de um referendo, esperando com isso ajudar a resolver a crise em que o país mergulhou, e apoiou a decisão do premiê Samak Sundaravej de não deixar o cargo. Sundaravej luta para vencer a queda-de-braço contra uma mobilização popular determinada a destituí-lo. A data e os termos do referendo ainda não foram decididos.A consulta vai decidir se a população quer manter a coalizão que ocupa o poder há sete meses, disse o ministro da Cultura, Somsak Kiatsuranond, após uma reunião especial do gabinete. "O primeiro ministro Samak vê [o referendo] como a melhor solução", disse o ministro.Centenas de manifestantes reunidos num grupo chamado Aliança Popular pela Democracia ocuparam a sede do governo pelo décimo dia, desprezando o estado de emergência, que proíbe reuniões políticas com cinco ou mais pessoas na capital. Os líderes da Aliança disseram que o referendo não altera nada. "Nossa posição continua a mesma", disse Pibhop Dhongchai, um dos líderes do grupo. "O primeiro-ministro terá de sair e o Partido do Poder Popular não pode estar na coalizão de governo", acrescentou. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.