Gabinete de Israel aprova troca de presos com Hezbollah

O gabinete israelense aprovou um acordo para trocar um militante libanês condenado por um ataque em 1979 por dois soldados capturados há dois anos pelo grupo guerrilheiro Hezbollah. Acredita-se que os soldados israelenses estejam mortos. A troca está prevista para ocorrer amanhã sob os auspícios da Organização das Nações Unidas (ONU) em um entroncamento próximo do litoral na fronteira entre Israel e o Líbano.O Hezbollah não apresentou evidências de que os soldados Ehud Goldwasser e Eldad Regev estão vivos e não permitiu à Cruz Vermelha que os visitasse depois da captura, em 12 de julho de 2006.No mês passado, o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, manifestou a seus ministros a crença de que os militares não sobreviveram.O acordo foi aprovado por 22 votos a favor e três contra e fecha um capítulo doloroso para Israel da guerra travada com o Hezbollah dois anos atrás.O conflito começou com a captura dos dois soldados na fronteira entre Israel e o Líbano e estendeu-se por 34 dias, causando a morte de mais de 1.100 pessoas no lado libanês, civis em sua maioria, e cerca de 160 no lado israelense, na maioria militares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.