Gabinete italiano aprova envio de soldados para o Líbano

O gabinete de governo italiano aprovou nesta segunda-feira o envio de 2,5 mil soldados para compor força de paz da ONU no sul do Líbano. O projeto agora necessita da aprovação do parlamento para ser posto em prática.O ministro do Exterior italiano, Massimo D´Alema, disse que a missão das Nações Unidas é uma oportunidade para a comunidade internacional trabalhar pela paz na região e pelo "fim das tensões geradas pelo conflito". As tropas italianas deverão ser enviadas em duas fases, informou o ministro da Defesa, Arturo Parisi. Na primeira, que ocorrerá entre setembro e outubro próximos, o país planeja enviar mil soldados ao sul do Líbano, um porta-aviões e quatro outros navios.Já na segunda, prevista para acontecer entre novembro e dezembro, 2.450 soldados serão posicionados no território libanês e outros 200 permanecerão de prontidão nos navios.O governo italiano também aprovou uma ajuda de 30 milhões de euros (US$ 38,4 milhões) para o Líbano. Além disso, o governo desembolsou 186,8 milhões de euros (US$ 239,1 milhões) para despesas com a força de paz até 31 de dezembro deste ano.O plano de envio deverá ser votado pelo parlamento já na próxima semana, e, espera-se, será aprovado sem dificuldades.O secretário-geral da ONU, Kofi Annan, pediu para a Itália liderar a força de paz no Líbano, que contará com 15 mil militares e que começará a atuar em fevereiro do ano que vem.Ainda nesta segunda-feira, o Ministério da Defesa disse que uma força-tarefa naval já está sendo reunida para transportar cerca de mil pessoas, entre fuzileiros navais e especialistas em engenharia, ao Líbano. Espera-se que tal força-tarefa desembarque na terça-feira em um porto no sul da Itália e chegue à costa libanesa na sexta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.