Gamaa Islamiya não se uniu à Al Qaeda

A organização egípcia Gamaa Islamiya assegurou que nenhum de seus dirigentes se uniu à organização terrorista Al Qaeda, apesar de o número dois da organização, Ayman Al-Zawahiri, ter afirmado o contrário.Em comunicado divulgado nesta segunda-feira pela imprensa egípcia, o Gamaa Islamiya, que renunciou à violência há nove anos depois do assassinato um ano antes de 57 turistas ocidentais no templo de Hatshepsut, em Luxor, diz que é "totalmente falso" o afirmado por Zawahiri."Existem profundas diferenças entre nós e a Al Qaeda", acrescenta a nota de réplica, assinada pelo "Conselho da Shura".Analistas em grupos islamitas consideram que o grupo está de fato dividido entre uma facção interna, que pactuou com o Governo e renunciou à violência, e outra externa, formada por líderes foragidos do Egito e que colaboravam com a Al Qaeda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.