Gangues de Honduras oferecem trégua ao governo

As maiores e mais perigosas gangues de rua de Honduras declaram hoje uma trégua e propuseram paz ao governo do país em troca de reabilitação e trabalho.

AE, Agência Estado

28 Maio 2013 | 21h56

Um porta-voz da gangue Mara Salvatrucha disse que seu grupo e a organização criminosa rival Rua 18 se comprometem a não cometerem crimes nem perpetrarem atos de violência nas ruas como gesto de boa vontade.

Um líder da gangue que se identificou a jornalistas apenas como Mario pediu desculpas à sociedade pelos crimes que nos últimos anos transformaram Honduras em um dos países mais violentos do mundo.

Alguns minutos depois, um líder da gangue Rua 18 conversou com a imprensa e apresentou oferta similar à da Mara Salvatrucha, "se o governo estiver ouvindo". Ele estava com o rosto coberto por um lenço e não revelou seu nome.

O governo até o momento não se pronunciou sobre a oferta das gangues. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Hondurasganguestrégua

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.