Ganhador do Nobel preso com manifestantes na Nigéria

A polícia nigeriana usou gás lacrimogêneo e prendeu dezenas de manifestantes, incluindo o ganhador do Nobel de Literatura Wole Soyinka, durante uma passeata pacífica na capital econômica do país. Soyinka, um oponente das ditaduras militares que precederam o atual governo, tornou-se também um crítico do presidente Olusegun Obasanjo, acusando o governo atual de ter reduzido o país a um estado de anarquia. O escritor estava entre as 500 pessoas que participavam do protesto em Lagos, organizado por grupos de defesa dos direitos humanos e representativos da sociedade civil para pedir a renúncia da administração. A polícia disparou gás lacrimogêneo contra a multidão depois de 15 minutos de passeata e dezenas foram presos, incluindo Soyinka. O filho do escritor, Makin, disse que a polícia justificou a prisão do ganhador do Nobel de 1986 porque Wole Soyinka tomara parte num ?comício ilegal?. No início do mês, as autoridades proibiram todas as manifestações públicas, alegando ?violação de segurança?. O presidente Olusegun Obasanjo, cuja eleição em 1999 pôs fim a 15 anos de ditadura militar, foi reeleito em abril de 2003, num pleito denunciado pela oposição como fraudulento. Mais de 10.000 pessoas já morreram em conflitos étnicos e religiosos na Nigéria desde 1999.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.