Abbas Momani / AFP
Abbas Momani / AFP

Ministro da Defesa recebe presidente palestino em sua casa em Israel

É a primeira vez desde 2010 que Mahmoud Abbas vai a Israel para uma reunião com autoridades israelenses

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de dezembro de 2021 | 19h43

JERUSALÉM - O  ministro da Defesa de Israel, Benny Gantz, se reuniu nesta terça-feira, 28, com o presidente da Autoridade Palestina (AP), Mahmoud Abbas, em sua casa na cidade israelense de Rosh HaAyin, como informou o gabinete do Ministério da Defesa. Gantz atua como chefe de gabinete do governo para as relações com a AP e deve se reunir com Abbas regularmente. Trata-se do segundo encontro entre eles em quatro meses. O primeiro ocorreu em Ramallah. 

Esta é a primeira vez desde 2010 que Abbas vai a Israel para uma reunião com autoridades israelenses. Segundo Gantz, os dois discutiram questões civis e de segurança. Segundo o comunicado da Defesa, Gantz disse a Abbas que tem a intenção de continuar impulsionando medidas que "fomentem a confiança nas áreas econômica e civil", como ficou determinado na reunião anterior. 

De acordo com o jornal israelense Haaretz, o encontro durou duas horas e meia e contou com a presença do coordenador das operações nos territórios, general Rassan Aliyan, do ministro de Assuntos Civis da Autoridade Palestina, Hussein al-Sheikh, e do chefe da Segurança Palestina, Majed Faraj.

O ministro palestino Al-Sheikh disse que Abbas discutiu com Gantz a importância de ter um horizonte político para se chegar a uma solução baseada nas decisões da comunidade internacional, segundo o jornal. Questões de preocupação econômica e humanitária e as tensões na Cisjordânia, como confrontos entre palestinos e colonos, também foram discutidas.

Após o encontro entre os dois no fim de agosto, a primeira reunião de alto nível entre autoridades israelenses e palestinas desde 2010, o Executivo israelense anunciou uma série de "medidas de confiança" que incluíam um empréstimo de US$ 155 milhões para evitar o colapso da AP. Enfatizou também a vontade de fortalecer o governo palestino em Ramallah e enfraquecer o movimento islâmico Hamas, que controla a Faixa de Gaza

Embora esses contatos tenham alto valor simbólico e representem uma importante reaproximação entre as partes, vários analistas indicam que ainda estão longe de levar à retomada das negociações de paz entre israelenses e palestinos, paralisadas desde 2014.

Ao contrário de Gantz, o primeiro-ministro Naftali Bennett deixou claro que não tem intenção de se encontrar com Abbas ou avançar em um processo político com a Autoridade Palestina no atual mandato. Bennett também se absteve de mencionar os palestinos em seu último discurso na ONU.

O Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Jake Sullivan, que visitou Israel na semana passada, destacou a importância que o governo vê na solução de dois Estados em suas negociações com Bennett, Gantz e em seu encontro com Abbas em Ramallah./COM EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.