García diz que Chávez tem dupla moral e insultou o Peru

O candidato presidencial peruano Alan García afirmou hoje que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, tem "dupla moral" e insultou o povo do Peru ao intervir em sua política interna. García declarou aos jornalistas que Chávez ofendeu os peruanos ao insultar o governante Alejandro Toledo "com adjetivos de caráter zoológico que são a única coisa que está no cérebro de quem os pronuncia". O Peru ordenou no sábado o retorno a Lima de seu embaixador na Venezuela, Carlos Urrutia, depois que Chávez afirmou que Toledo e García são "jacarés do mesmo poço", em meio a uma polêmica por causa da "intromissão" do líder venezuelano nas eleições peruanas. "Eu defendo a soberania do Peru e o direito dos peruanos de que ninguém lhes dê lições, e muito menos que queira chantagear ou subornar, dizendo que se votarem em um candidato emprestará US$ 100 milhões", disse García. O candidato se referiu, dessa forma, ao aberto apoio de Chávez ao candidato nacionalista Ollanta Humala, que disputará o segundo turno com García em 28 de maio. García opinou que Chávez é "uma pessoa que não controla suas emoções e seus apetites políticos", e disse que o governante se incomodou com ele, porque mostrou "que tem dupla moral". O candidato criticou a oposição de Chávez aos tratados de livre comércio assinados por Peru e Colômbia com os Estados Unidos, enquanto a Venezuela vende grandes quantidades de petróleo aos americanos. García também negou ter sido o responsável por iniciar a polêmica, ao ter dito na quinta-feira passada que Chávez era "sem-vergonha", e lembrou que este "se intromete na política peruana há muito tempo". "Eu não disse que a Venezuela, apesar de ter cerca de US$ 70 bilhões ao ano, tem uma pobreza talvez maior que a do Peru", disse. O candidato afirmou que os peruanos não podem ficar "inertes e inalterados diante de um intrometido", e sustentou que o dia que não se respeitar o princípio da não-intervenção entre os povos se cairá "no hitlerismo". O candidato acrescentou que, se vencer as eleições peruanas, espera que as relações com a Venezuela sigam seu curso normal. Matéria alterada às 16h de domingo, 30

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.