García e Flores continuam briga pela vaga no segundo turno

O ex-presidente Alan García e a conservadora Lourdes Flores continuam brigando voto a voto pela vaga no segundo turno das eleições presidenciais no Peru, em que um deles vai enfrentar o nacionalista Ollanta Humala.O Escritório Nacional de Processos Eleitorais entregou um relatório após a apuração de 89,15% dos votos, dando 30,94% a Humala, 24,40% a García e 23,44% a Flores.Ainda falta a apuração dos votos de zonas afastadas, da floresta (Loreto, San Martín e Amazonas), da serra (Cajamarca), e do litoral (Lima e Callao). Até agora foram somados 30% dos votos dos 457.891 peruanos que vivem no exterior. Cerca de 50% deles votaram, com forte inclinação por Flores.Durante o Sábado de Aleluia, o líder do partido Aprista e ex-chefe de Estado (1985-90) Alan García se dedicou a descansar com sua família. Flores, por sua vez, se reuniu com Xavier Barrón, chefe de apuração da aliança União Nacional.A candidata conservadora se disse "otimista", prevendo alcançar García na reta final da contagem. Ela anunciou que vai esperar a apuração "até o último voto".Flores, de 46 anos, previu que a aliança União Nacional e o partido Aprista "serão as bases para a construção do consenso no Peru, no qual também é preciso dar lugar ao fujimorismo".A candidata elogiou a decisão de García de suspender o pedido de anulação das votações em Miami, Madri e Milão, que "não tinha sentido".O secretário do Tribunal Nacional de Eleições, Juan Falconí, disse hoje à EFE que com a suspensão do pedido "a contagem vai seguir seu curso normal e que tudo poderá fluir normalmente".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.