Garota de 14 anos pode ter matado militar americano

Uma garota de 14 anos foi a autora do disparo que matou, na sexta-feira, o sargento americano Nathan Ross Chapman - o primeiro militar dos EUA morto por forças inimigas na atual campanha antiterror no Afeganistão -, informou nesta segunda-feira o jornal paquistanês Kyber Mail. Líderes tribais da Província de Paktia, no leste afegão, estavam debatendo a possibilidade de entregar a garota, cujo nome não foi revelado, a forças americanas.Mas uma outra versão, atribuída pela agência Associated Press a fontes do governo afegão, sustenta que o assassino do soldado é um garoto, que teria fugido de Paktia. Segundo essas fontes, o desaparecimento do menor causou a suspensão da reunião de chefes das tribos.Chapman, que tinha 31 anos e vivia no Texas, foi morto numa emboscada quando integrava uma equipe de 25 homens - composta também por boinas-verdes e agentes da CIA, a agência de inteligência americana. O grupo se dirigia a um vilarejo da província para confirmar a veracidade de informações segundo as quais bombardeios americanos tinham causado dezenas de mortes entre civis durante um bombardeio. Um agente da CIA também foi ferido.O Pentágono não deu detalhes sobre as circunstâncias do ataque, mas o Kyber Mail informou que ele ocorreu quando um grupo de afegãos, no qual se encontrava a garota, abriu fogo contra helicópteros americanos que iniciavam a descida. Chapman e o agente da CIA foram baleados a bordo do helicóptero.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.