Garoto é encontrado escondido em casa nos EUA

Falcon Heene, o menino de seis anos que, temia-se, teria ficado à deriva a bordo de um balão, foi encontrado no interior de sua casa, informou a polícia do condado de Larimer, no Estado americano do Colorado. O garoto estava escondido em uma caixa no sótão da garagem da casa da família, informou o xerife Jim Alderman em entrevista coletiva.

AE-AP, Agencia Estado

15 de outubro de 2009 | 19h53

O balão de hélio caseiro voou à deriva por cerca de duas horas nesta tarde e mobilizou uma grande operação de resgate no Colorado, região central dos Estados Unidos, em meio aos rumores de que a criança estaria a bordo. Quando o balão caiu, no entanto, não havia ninguém dentro.

De acordo com os relatos divulgados pela polícia e pela mídia americana, o pequeno Falcon Heene teria sido visto entrando no balão por um de seus irmãos mais velhos. No entanto, após analisar o equipamento caído, a polícia passou a acreditar que o menino não chegou a entrar no artefato.

"Achamos que ele não caiu, que ele está em algum lugar em terra", especulou Eloise Campanella, porta-voz da polícia local. Chegou a ser lançada a hipótese de que Falcon teria entrado em uma cesta presa ao balão e que ela teria caído logo no início do voo. Algumas testemunhas chegaram a afirmar que viram algo se desprender do objeto voador.

O balão era um "experimento científico" dos pais da criança, Richard e Mayumi Heene, e estava amarrado do quintal da casa da família. Segundo um site de relacionamentos, os Heenes são cientistas amadores que se dedicavam a "procurar por alienígenas" e pesquisar sobre tempestades. O balão em formato de disco voador seria enviado para colher dados durante uma tempestade.

O artefato construído pelos pais de Falcon voou de Fort Collins a Keenesburg, por cerca de 90 quilômetros, e chegou a uma altitude aproximada de 3 mil metros, segundo a polícia. A Guarda Nacional enviou um helicóptero militar OH-58 Kiowa para o resgate, e outra aeronave se preparava para decolar. A ideia era lançar um cabo para capturar o balão.

Pilotos de ultraleves também foram acionados; eles tentariam jogar pesos sobre o balão, para fazê-lo perder altitude. Mas o equipamento acabou murchando sozinho, o que o fez desacelerar e cair em um campo. Depois da queda, sem sinais da presença de Falcon, as buscas se concentraram no bairro em que mora a família.

Bob Licko, de 65 anos, um vizinho da família, disse que estava saindo de casa quando viu uma agitação nos fundos e viu um dos irmão de Falcon com uma câmera. "Um dos garotos gritou que seu irmão estava no ar", contou.

As cenas do estranho balão voando desgovernado foram transmitidas ao vivo e comoveram o país. Mas, o episódio também causou transtornos no tráfego aéreo do Colorado. A Agência Federal de Aviação cancelou, por 15 minutos, todas as decolagens do aeroporto de Denver. Os controladores aéreos tiveram de desviar os voo na rota do balão.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAbalãocriança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.