Garotos são acusados de matar colega de 11 anos na Grécia

Cinco garotos foram acusados de matar uma criança imigrante na cidade de Veria, no norte da Grécia. Alex Mechisvili, de 11 anos, imigrante da Geórgia, ex-república soviética, desapareceu quando voltava da escola, em janeiro. Após dois meses de intensiva procura, o corpo não foi encontrado, e as buscas, canceladas. Segundo o site do jornal britânico The Times, cinco garotos - dois gregos, um romeno e dois albaneses -, todos com idades entre 11 e 13 anos, foram acusados de assassinato premeditado e abuso; já seus pais foram acusados de negligência pela promotoria. Os jovens foram interrogados pela primeira vez em junho, mas as autoridades deram poucos detalhes sobre o caso pelo fato de os réus serem menores. Em seus primeiros relatos, eles contaram à polícia que durante uma briga com o colega de escola, bateram muito nele, que acabou morrendo. Os garotos disseram também que deixaram o corpo do garoto em um porão durante um dia e, depois, o levaram para um outro local. Porém, um dia depois de seus testemunhos, após serem mandados para casa, eles desmentiram suas respostas anteriores afirmando que estavam sob pressão durante o interrogatório. Advogados e psiquiatras infantis ficaram impressionados com o horror do crime e afirmaram que dificilmente meros delinqüentes juvenis planejariam esse assassinato. Tentativa de suicídioDesde que Alex desapareceu, sua mãe, Natela Ichuadze, nutria esperanças de encontrar seu filho vivo em algum lugar. Porém, no início desta semana suas esperanças foram frustradas quando a polícia de Veria lhe disse, sem rodeios, que havia quase nenhuma chance de encontrar Alex, seja vivo ou morto.Após receber tal notícia, ela foi até sua casa e aparentemente tentou se matar tomando um frasco inteiro de tranqüilizantes. Os médicos que a tratam disseram que sua saúde está em condições satisfatórias. As notícias da tentativa de suicídio da mulher levaram várias pessoas às ruas de Veria para fazer uma manifestação de apoio a ela na noite de ontem. O protesto estava carregado com um ressentimento étnico, pois os imigrantes albaneses são considerados responsáveis pelo aumento da criminalidade em várias partes da Grécia. Milhares de migrantes da Albânia, Bulgária e outras ex-repúblicas soviéticas se mudam para a Grécia desde a queda do Muro de Berlin, no início dos anos 1990. A maioria se empregou em trabalhos pesados, mas outros vêm sendo acusados pelo acentuado crescimento dos índices de crimes no norte do país. Envolvimento de adultosO padrasto grego de Alex, Dimitris Sainis, afirmou durante uma entrevista que as prisões representaram um importante passo na busca pela verdade sobre o crime, mas ele acredita que "outras pessoas, mais velhas, estão envolvidas". "Não consigo aceitar que cinco crianças cometeram o crime perfeito e se encarregaram de esconder tão bem o corpo", acrescentou Sainis.A mãe do garoto também acredita que adultos estejam envolvidos. Natela afirmou para um canal televisivo que os pais de ao menos um dos réus albanos devem saber mais do que contaram à polícia.A única evidência concreta do envolvimento de maiores no crime é uma ameaça que Alex recebeu de membros de gangues locais no ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.