Garzón defende-se em caso de prevaricação

O juiz espanhol Baltasar Garzón defendeu ontem, no Tribunal Supremo da Espanha, a exumação dos corpos das vítimas da Guerra Civil (1936-1939) e dos primeiros anos do franquismo. Garzón é acusado de prevaricação (irregularidade no desempenho de função pública) por supostamente ter decidido investigar um caso fora de sua competência legal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.