Gasto militar levará Norte ao colapso, diz Coreia do Sul

A empobrecida Coreia do Norte poderá provocar o próprio colapso se continuar a destinar as escassas reservas nacionais para seu programa de armas nucleares e para os militares, alertou hoje o conselheiro de segurança nacional da Coreia do Sul, Chun Yung-woo. É raro que um funcionário do governo sul-coreano faça este tipo de comentário, mesmo com a tensão que permanece entre os dois vizinhos.

AE, Agência Estado

17 de janeiro de 2011 | 16h49

"Eu acredito que eles vão chegar no ponto onde não aguentarão mais o peso dos gastos militares", disse Chun ao programa NewsHour da emissora de televisão PBS. Chun é o conselheiro do presidente sul-coreano em segurança nacional e assuntos estrangeiros. "Eles já sofrem muito com a miséria. A obsessão que eles têm com a capacidade militar, especialmente armas de destruição em massa, como armas nucleares e químicas, é algo que vai levá-los mais rápido para o fim", afirmou Chun.

A economia norte-coreana, totalmente controlada pelo Estado comunista, foi devastada na década de 1990 por desastres naturais e pela péssima administração. Acredita-se que uma fracassada reforma cambial em 2009 e enchentes mais fortes que a média podem ter piorado a situação. Contudo, especialistas afirmam que o Norte ainda destina grande parte das suas escassas reservas para o exército de 1,2 milhão de homens. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do SulCoreia do Norte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.