Gbagbo ameaça retaliar com expulsão de embaixadores

O presidente da Costa do Marfim, Laurent Gbagbo, ameaçou expulsar embaixadores dos países que, a pedido do seu rival Alassane Ouattara, tenham descredenciado embaixadores do seu governo no exterior. Gbagbo, derrotado nas eleições presidenciais de novembro, se recusa a deixar a presidência do país africano e transferi-la a Ouattara, atitude que provocou um impasse político e levou a críticas da comunidade internacional.

AE, Agência Estado

28 de dezembro de 2010 | 19h35

"Nós entendemos que alguns governos, dizendo que eles estão agindo na base de comunicados vindos do Sr. Alassane Ouattara, pretendam colocar um fim às missões dos nossos embaixadores nos seus países", afirmou o governo de Gbagbo em comunicado, lido na emissora estatal de televisão RT1.

"Confrontados com essas decisões, contrárias à prática diplomática, nos reservamos ao direito de aplicar a reciprocidade, ao finalizar as missões diplomáticas dos embaixadores dos países em questão", afirma o texto, lido pelo porta-voz Ahoua Don Mello. Nenhum país específico foi citado. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.