Geithner: calote pode levar EUA à dupla recessão

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner, alertou em uma carta ao Congresso americano que se o teto de endividamento do governo, atualmente em US$ 14,294 trilhões, não for elevado, os juros subirão, o patrimônio das famílias ficará comprometido e o país entrará numa dupla recessão.

AE-DOW JONES, Agência Estado

14 de maio de 2011 | 13h20

A carta, enviada na sexta-feira ao senador democrata Michael Bennet, foi um dos alertas mais explícitos da administração Obama sobre as consequências de não se elevar o limite atual. A expectativa é que o governo americano atinja o teto de endividamento na segunda-feira.

Segundo o Tesouro, o país poderá não ter mais capacidade de pagar sua dívida a partir do início de agosto.

Alguns republicanos têm questionado se o Tesouro permitiria um eventual calote, mas Geithner disse na carta que a manutenção do limite forçaria os EUA a deixar de pagar suas obrigações.

"Seria algo inédito na história americana", escreveu Geithner. "Uma moratória causaria danos catastróficos à economia da nação, reduzindo o crescimento de maneira significativa e aumentando o desemprego", completou. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
GeithnerEUAmoratória

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.