Geithner trata questão cambial com vice-premiê chinês

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner, se reuniu neste domingo com o vice-premiê chinês, Wang Qishan. O encontro ocorreu durante visita à China, em meio a crescentes preocupações relacionadas à questão cambial, segundo os governos de ambos os países.

AE-AP, Agência Estado

24 de outubro de 2010 | 10h04

No encontro, ocorrido na cidade portuária de Qingdao, Geithner e Wang trocaram pontos de vista sobre as relações entre EUA e China e discutiram preparativos para a reunião de líderes do G-20 - grupo das 20 maiores economias do mundo -, marcada para 11 e 12 de novembro.

Pequim está sob pressão de Washington para flexibilizar sua política cambial, que, segundo a Casa Branca, estaria inflando o superávit comercial da China e eliminando empregos nos EUA. Em 30 de setembro, a Câmara dos Representantes dos EUA aprovou um projeto de lei que permitirá a Washington sancionar países que manipulem suas moedas com o intuito de obter vantagens comerciais. A proposta deverá ser votada pelo Senado depois das eleições de novembro.

Planos para o encontro entre Geithner e Wang foram anunciados no sábado, durante reunião dos ministros de Finanças e presidentes dos bancos centrais do G-20 em Gyeongju, Coreia do Sul. Na ocasião, os participantes da reunião se comprometeram a evitar a manipulação cambial.

"Países com taxas de câmbio significativamente desvalorizadas se comprometeram a migrar para sistemas cambiais mais orientados pelo mercado, que reflitam os fundamentos econômicos, como a China está fazendo agora", afirmou Geithner no sábado.

Em junho, a China anunciou que flexibilizaria sua taxa de câmbio, mas o yuan se valorizou apenas 2% nos três meses seguintes. A valorização da moeda chinesa, no entanto, ganhou força desde que o projeto de sanção foi aprovado na Câmara dos Representantes.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAChinacâmbioG-20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.