Gêmeas adultas ligadas pelo crânio serão separadas

As gêmeas siamesas iranianas Laleh e Ladan Bijani poderão finalmente fazer uma cirurgia de separação, após terem passado os 28 anos de suas vidas ligadas pelo crânio. A operação deve ser conduzida na próxima semana pelo Hospital Raffles, em Cingapura.As gêmeas, que são formadas em Direito, dizem ter personalidades completamente opostas e planos de vida muito diferentes. "Nós somos pessoas completamente diferentes presas uma a outra", disse Ladan, a mais extrovertida das irmãs.O risco da operação é tão grande que, em 1996, um grupo de médicos alemães se recusou a operá-las, argumentando que as duas poderiam morrer.Elas decidiram procurar ajuda em Cingapura depois de terem tomado conhecimento do sucesso de uma operação semelhante que separou dois bebês nepaleses, também ligados pelo crânio. A operação foi conduzida pelo cirurgião Keith Goh.Goh explicou que os cérebros das gêmeas estão dentro de uma mesma estrutura óssea, o que torna o procedimento muito arriscado. "O problema é que, depois desses 28 anos, os cérebros desenvolveram conexões nervosas que terão que ser desfeitas", disse o médico.As chances de nascimento de gêmeos siameses são uma em 100 mil. Os partos são extremamente complicados. Entre 40% e 60% dos siameses nascem prematuros, e 35% dos recém-nascidos sobrevivem por apenas um dia. As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.