General americano aponta erros nas investigações sobre o caso Haditha

O general americano Peter Chiarelli completou a revisão do relatório sobre o caso Haditha, no qual militares civis foram acusados de matar 24 civis iraquianos em 19 de novembro de 2005. Segundo um oficial militar, Chiarelli apontou erros no relatório e encaminhou suas recomendações para o general George W. Casey, o primeiro em comando das forças americanas no Iraque.Marines americanos foram acusados de matar os civis, entre eles, mulheres e crianças desarmadas, depois da explosão de uma bomba colocada na estrada que matou um de seus companheiros.As investigações do caso foram conduzidas pelo major Eldon Bargewell, que averiguou se os marines seguiram os procedimentos apropriados em seus relatórios do incidente. As investigações também irão considerar se deverão ser feitas acusações criminais contra os marines ou não.Os marines alegaram que os iraquianos foram mortos como resultado da explosão da bomba e a subseqüente troca de disparos com os insurgentes.Chiarelli concluiu que oficiais de patente mais alta não investigaram informações imprecisas e inconsistentes que deveriam ter despertado suspeita e, apesar de ter concordado com a maior parte das investigações feitas por Bargewell, recomendou em alguns casos ações diferentes. Segundo o oficial militar, que falou na condição de anonimato, as investigações encontraram erros no relatório inicial dos marines e alguns dos erros foram de natureza criminal.O oficial militar disse ainda que o relatório será divulgado provavelmente nas próximas duas semanas, mas o que puder ser utilizado em uma investigação criminal não será divulgado.O caso é uma das diversas acusações de abuso de força do exército americano no Iraque. O governo iraquiano também ordenou uma investigação dos assassinatos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.