Departamento de Justiça dos EUA / AP
Departamento de Justiça dos EUA / AP

General aposentado venezuelano acusado de narcotráfico se entrega aos EUA, diz jornal

Clíver Alcalá teria se rendido a agentes de inteligência colombianos, que depois o encaminharam às autoridades americanas

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de março de 2020 | 13h32

BOGOTÁ - O general aposentado venezuelano Clíver Alcalá-Cordones se rendeu na Colômbia às autoridades norte-americanas que o acusam de narcotráfico, em um caso em que o presidente Nicolás Maduro e outros membros do governo da Venezuela também estão envolvidos, informou a mídia local colombiana. 

Alcalá se apresentou na sexta-feira, 27, a agentes de inteligência colombianos que depois o entregaram às autoridades americanas, informou o jornal El Tiempo, de Bogotá. 

Os Estados Unidos ofereceram até US$ 10 milhões nesta semana por informações que levem à sua prisão ou processo. 

O ex-militar, que viveu na cidade colombiana de Barranquilla (norte) por cerca de dois anos, foi enviado a Nova York em um voo com permissão especial em meio ao confinamento geral decretado na Colômbia pela pandemia do novo coronavírus, informou o jornal. 

O ex-chefe de polícia venezuelano Iván Simonovis, que foi preso pelos Estados Unidos no ano passado depois de fugir de seu país depois de passar 15 anos na prisão, disse à agência de notícias AFP que tinha informações de que o general estava sendo transferido ou já estava em Nova York. 

Procurados pela AFP, a polícia e o governo colombianos e a embaixada dos Estados Unidos em Bogotá não forneceram informações sobre o paradeiro dele. 

Além disso, o Departamento de Justiça dos EUA se recusou a comentar o caso neste sábado, assim como a DEA, a agência antidrogas dos Estados Unidos no dia anterior.  /AFP           

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.