General desertor torna-se porta-voz dos dissidentes

O ditador sírio Bashar Assad agora tem um inimigo íntimo na oposição. Manaf Tlass, seu amigo de infância e ex-general das Forças Armadas, posicionou-se ontem como um dos porta-vozes da dissidência depois de desertar, há poucas semanas. Em um pronunciamento enviado à rede de TV Al-Arabiya, o militar conclamou seus compatriotas a se unirem "pelo pós-Assad" e a construir "uma nova Síria". O pronunciamento foi o primeiro em que o general demarca sua distância de Assad e do regime, do qual participou por longo tempo, como seu pai, ex-ministro da Defesa de Hafez Assad, pai do atual ditador.

O Estado de S.Paulo

26 de julho de 2012 | 03h02

"Faremos o impossível para assegurar a unidade da Síria e para assegurarmos o começo da construção de um novo país", disse. "A nova Síria não deve ser construída sobre a vingança, a exclusão ou o monopólio." Em tom político, Tlass afirmou ser "filho" do Exército sírio, mas disse "rejeitar" os métodos criminais e corruptos do regime. Apesar disso, afirmou não condenar os militares que não abandonaram seus postos. / A.N.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.