General explica por que recusou cargo na Casa Branca

Um general reformado americano lamenta a falta de uma visão estratégica sobre o Iraque e o Afeganistão por parte do governo de George W. Bush, em artigo publicado nesta segunda-feira, 16, no qual explica por que rejeitou o posto de "czar da guerra" para a região.Em seu artigo no jornal The Washington Post, o general reformado John J. Sheehan, que foi comandante supremo do comando Atlântico em meados dos anos 90, afirma que "o atual processo de tomada de decisões em Washington não está vinculado com nenhuma perspectiva ampla nem da região nem de como as partes se encaixam estrategicamente"."Acertamos nos primeiros dias no Afeganistão, mas depois perdemos a perspectiva", acrescenta Sheehan, para quem a aproximação de Washington no Iraque foi incorreta desde o princípio."Por estas razões, pedi para não ser considerado para este importante cargo na Casa Branca", afirma o general americano.Em sua opinião, "estas carências enormes não serão superadas com a nomeação de um indivíduo a mais no organograma da Casa Branca".Sheehan afirma, após suas conversas com atuais e anteriores membros desta Administração", saber que "não há uma visão estratégica consensual sobre o Iraque ou o problema na região".O Washington Post informou na quarta-feira passada que a Casa Branca buscava "um czar da guerra" para o Iraque e o Afeganistão, e que três gerais na reserva tinham negado a oferta, embora um porta-voz oficial tenha afirmado que este era apenas um projeto e que outras opções estão sendo analisadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.