Amr Abdallah Dalsh / Reuters
Amr Abdallah Dalsh / Reuters

General golpista obtém 93% dos votos em eleição presidencial egípcia

Eleição que legitima Sissi tem participação menor que a vencida pela Irmandade Muçulmana em 2012

O Estado de S. Paulo

29 Maio 2014 | 09h06

CAIRO - O marechal Abdel Fattah al-Sissi, o militar que derrubou o primeiro presidente livremente eleito no Egito, obteve mais de 93% dos votos na eleição presidencial de segunda e terça-feira, anunciou a comissão eleitoral do país, nesta quinta-feira, 29.

Seu único rival, o político esquerdista Hamdeen Sabahi, conseguiu 3% dos votos e 3,7% foram invalidados. Compareceram às urnas 44,4% dos 54 milhões de eleitores. Na semana passada, Sissi pedira 40 milhões de votos.

A participação foi menor que em 2012, as primeiras eleições livres da história egípcia,  quando islamista Mohammed Morsi foi eleito. Ele seria deposto por Sissi em um golpe militar um ano depois.

Os números mais baixos de participação do eleitorado foram registrados nas províncias de Marsa Matruh e Al Fayum, com 28,3% e 30,39%, respectivamente, enquanto os mais altos foram registrados em Manufiya e Daqahliya, com 62% e 61%.

Para estimular a participação dos eleitores, a Comissão Suprema Eleitoral estendeu a votação em um dia. Um membro da Comissão, o juiz Tareq Shebl, assinalou ao jornal estatal "Al-Ahram" que cerca de 25 milhões de pessoas - das 54 milhões com direito a voto - compareceram às urnas. Shebl também explicou que os resultados oficiais serão anunciados entre o próximo domingo e segunda-feira.

Os dados eleitorais divulgados pelo jornal Al-Ahram coincidem com os do comitê de campanha de Sisi, ao qual outorgam a vitória com 96% dos votos, sem contar os nulos. / EFE e REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Egito Abdel Fatah al-Sissi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.