General israelense teme revolta pacífica

O general Amos Gilad, chefe de política e segurança do Ministério da Defesa de Israel, confidenciou a diplomatas dos EUA que o pior cenário para os israelenses seria uma revolta pacífica dos palestinos na Cisjordânia. O comentário está em documentos americanos divulgados pelo WikiLeaks. Segundo Gilad, o Exército de Israel não está preparado para esse tipo de protesto. "Demonstrações não violentas podem confundir o Exército. Não lidamos bem com (as táticas de) Gandhi", disse Gilad, em referência ao pacifista indiano. / AP

, O Estado de S.Paulo

14 Setembro 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.