General morto no Haiti é homenageado em Brasília

O comandante do Exército, Francisco Albuquerque, fez um discurso emocionado na cerimônia em homenagem ao general Urano Bacellar, encontrado morto em Porto Príncipe, no Haiti, onde chefiava a missão de paz da ONU. Albuquerque elogiou o "desempenho exemplar" do militar e garantiu que a missão de paz será cumprida. "Não tenham dúvida.". "Nós não nos abateremos, sairemos fortalecidos desse episódio como guerreiros da paz", ressaltou. Segundo o comandante do Exército, Urano sacrificou a própria vida no cumprimento do dever. "Consola-nos a certeza de que a perda tão sentida há de estimular ainda mais a fé e a vontade de continuar cumprindo essa missão desafiadora." A morte de Urano, disse Albuquerque, "deixa um enorme vazio" e foi uma "perda precoce, irreparável e difícil de ser aceita". O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou à Base Aérea de Brasília 10 minutos depois do previsto, por isso a cerimônia começou com atraso. Além do presidente, do vice e ministro da Defesa, José Alencar, e dos comandantes das três Forças participaram das honras fúnebres o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Jorge Félix, e o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim. O corpo do general Urano Bacellar será levado, em um avião Hércules da FAB, para o Rio de Janeiro, onde será sepultado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.