General pede reforços para combater Talebã no Afeganistão

O comandante militar da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), James Jones, disse nesta quinta-feira que ficou "surpreso" com o nível de resistência da milícia Taleban no Afeganistão, e pediu reforços para derrotar militarmente os grupos armados partidários do regime deposto em 2001."Temos de reconhecer que estamos um pouco surpresos com o nível de intensidade (da violência), e com o fato de que a oposição em algumas áreas não se baseia em táticas tradicionais de atirar e correr", disse o militar americano, no quartel-general da Otan na Bélgica.James Jones pediu centenas de soldados e mais aviões de combate para elevar o contingente e a capacidade bélica dos mais de 18 mil homens de 31 países já presentes no Afeganistão."Não é uma medida desesperada, é um pacote de segurança", afirmou Jones.ResistênciaO Afeganistão está enfrentando o período mais violento desde a queda Taleban em 2001. Somente neste ano, centenas de pessoas morreram em confrontos e explosões.Enviadas para o país para prover estabilidade para o governo pró-Ocidente local, as tropas da Otan se viram encurraladas em meio a uma guerra de contra-insurgência contra o antigo regime.Jones disse que os reforços ajudariam a "reduzir as fatalidades" entre as tropas da Otan.Mais de 20 soldados da organização já morreram desde julho, quando a aliança assumiu o comando das operações no Afeganistão no lugar do Exército americano."Certamente antes do inverno (a partir do fim de outubro) vamos ver esse momento decisivo na região virar a favor das tropas que representam o governo (afegão)", disse o comandante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.